Casa Cosentino por Débora Aguiar

Débora Aguiar

A Casa Cosentino, assinada por Débora Aguiar para a CASACOR São Paulo 2018, foi projetada para a contemplação dos quatro elementos naturais, água, fogo, terra e ar.

A Casa que dispõe de 1.100 m² é composta por hall de entrada, suíte master com spa, home theater, espaço gourmet, sala de jantar e living. Todos os ambientes são integrados e permitem tanto a convivência como a privacidade. Vários pontos de transparência voltados para o jardim, permitem a entrada abundante de luz natural.

Na sala de jantar, uma grande mesa de madeira e 30 pendentes do designer Ingo Maurer dão as boas-vindas aos convidados. O pé direito duplo do living com generosos 7 m junto da torre da lareira formam um eixo que integra o estar ao jantar.

“Toda a circulação e integração dos espaços estão voltados para o jardim, favorecendo a luz natural abundante e levando o verde para dentro dos ambientes. Essa transparência junto à natureza é o que busco em meus projetos para trazer aconchego e bem-estar”, disse a arquiteta.

Destaque para as obras de arte presentes em todos os espaços, tanto internos como externos. São quadros e esculturas de grandes artistas como Brecheret, Ascanio, Ceschiatti, Bruno Giorgi, Di Fiori, Sonia Ebling, entre outros. Confira:

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Ilha do closet em Dekton Entzo Cosentino
Débora Aguiar
Aconchego e sofisticação

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Spa

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Escultura de Ascânio MMM
Débora Aguiar
Dekton Domoos nos painéis da area externa

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

 

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

O Museu do Amanhã, novo ícone da revitalização da região portuária do Rio de Janeiro foi concebido pelo renomado arquiteto espanhol Santiago Calatrava, também responsável pela Ponte da Mulher, em Buenos Aires e pelo Estádio Olímpico de Atenas, onde foram disputadas as competições da Olimpíada de 2004.
O edifício do Museu do Amanhã com 15 mil m²,  apresenta todo o seu conteúdo voltado para a sustentabilidade. Cercado por espelhos d’água, jardins com espécies típicas da Mata Atlântica e ciclovias, oferece também uma belíssima visão da Baía de Guanabara .
Com design arrojado e forma curva e longilínea, o arquiteto inspirou-se nas bromélias do Jardim Botânico para projetá-lo. Uma das maiores preocupações de Calatrava era a de preservar  a visibilidade da rica arquitetura carioca existente no entorno, tais como:  Mosteiro São Bento, importante construção barroca, o Edifício “A Noite”, primeiro arranha-céu da América Latina, sede da Rádio Nacional e o Museu de Arte do Rio (MAR).
Destaque para a obra de Frank Stella (um dos mais importantes artistas contemporâneos dos Estados Unidos), uma estrela de vinte pontas com seis metros de diâmetro que acrescentou ainda mais beleza ao projeto de Calatrava.

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

No Museu do Amanhã, passado, presente e futuro se unem para responder às nossas mais  frequentes indagações: De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? Como queremos ir?
Sendo um museu de ciência, recorre ao procedimento empírico e interativo; não exibe objetos e sim ideias e estimula o público a refletir um pouco mais sobre o impacto que está causando ao planeta.
A Exposição principal do Museu do Amanhã se divide em cinco áreas:
Cosmos: O público faz uma viagem sensorial pelo Universo, desde as galáxias mais distantes até às partículas microscópicas.

Terra: Três cubos de sete metros de largura por sete metros de altura representam as três dimensões da existência – matéria, vida e pensamento. Condições singulares que possibilitaram o surgimento da vida no planeta e o desenvolvimento da inteligência e da cultura humanas.
“O cérebro é um órgão plástico em permanente transformação, causado pela vida do indivíduo; pelo mundo em que ele vive e o que o mundo impõe a ele. O cérebro reage tanto a estímulos físicos, quanto a estímulos simbólicos”, explica o psicanalista Benilton Bezerra Jr., consultor do museu para a área do pensamento.
Se o funcionamento do cérebro é um fenômeno comum a toda a humanidade, a diversidade das culturas que daí emerge é imensa: um labirinto de mais de mil imagens retrata a forma como, em diferentes partes do mundo, os seres humanos celebram, habitam, amam, falam, se alimentam, se vestem, têm conflitos, residem num total de mais de 20 temas. O espaço ganha sonoridade por meio de dez trilhas assinadas por Lucas Marcier, que representam a diversidade do pensamento humano.

Antropoceno: Totens com dez metros de altura com conteúdo audiovisual, provocam uma reflexão ética aos visitantes, que são estimulados a pensar sobre o impacto que estão causando ao planeta, alterando o clima, degradando biomas e interferindo nos ecossistemas.

Os Amanhãs: Desdobram-se no Museu numa área em forma de “origamis”, com três ambientes que aprofundam as tendências principais: o público pode calcular sua pegada ecológica; participar de um jogo colaborativo em que é preciso administrar os recursos do planeta para mantê-lo sustentável e descobrir qual seria seu perfil diante dos avanços tecnológicos e dos desafios que o futuro apresenta.

Nós: Depois desse momento de reflexão, um belvedere se abre sobre a Baía de Guanabara e o público volta ao “hoje” renovado.

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã
Museu do Amanhã
Estrela de vinte pontas do artista Frank Stella.
 Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Endereço: Praça Mauá, 1 – Centro – Rio de Janeiro/RJ – Brasil
Não há estacionamento no local.

Imagens:
Byron Prujansky
Bernard Lessa

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Conheça os Jardins de Christian Préaud

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud, paisagista,  arquiteto, pintor e jardineiro, acredita que um paisagista do século 21, deva ter uma visão holística no momento da criação de seus jardins.
Deve haver consonância entre o paisagismo e o local onde este será inserido. “Não podemos, simplesmente, criar um Jardim Italiano Renascentista, sem pensar em mais nada.” afirma o arquiteto-paisagista.

Préaud nasceu em Paris e passou a infância em Marrocos, Paris e Versalhes.
A paixão pelos jardins veio da observação de sua avó trabalhando a terra.
Cursou arquitetura na ESA Paris e paisagismo na École Nationale Supérieure du Paysage de Versailles em 2001.

Atualmente vive entre Marnes la Coquette e Barcelona. Cria jardins privados na França, Suíça, Marrocos, Oriente Médio e Ásia, mas também trabalha como arquiteto na construção, renovação, projetos de design de interiores e planejamento urbano.

Préaud sempre utiliza linhas retas e limpas para criar jardins que dão continuidade ao espaço privado, respeitando a identidade do lugar, seja ele contemporâneo ou arcaico.
Primoroso, domina a arte de misturar tons – tanto na escolha das plantas como nos materiais decorativos – obtendo o que foi solicitado por cada cliente, jardins em tons pastel, monocromáticos ou coloridos.

Segundo o poético paisagista:  “Maturidade significa estar em harmonia com a terra, estações, velocidade lenta e com o esplendor da vida que irrompe de um jardim. O Jardim do Éden é uma meta inalcançável e nada poderá ser comparado a ele, mas nós podemos tentar recriar o paraíso aqui na terra.”

“É o que eu faço que me ensina o que eu procuro. ”
Pierre Soulages

Confira abaixo, a  delicadeza, presente em seus belíssimos jardins:

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

 Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

 Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud