Keukenhof 2018 – Romance in Flowers

Keukenhof 2018

Keukenhof, o maior jardim de flores do mundo, deu início à sua 69ª edição no dia 22 de março e permanecerá aberto ao público até o dia 13 de maio de 2018. Independentemente do inverno ter sido rigoroso e embora ainda esteja muito frio na Europa, a primavera chegou em Keukenhof e as primeiras tulipas, narcisos e outras flores de bulbos, já estão florescendo!

Em torno de Keukenhof há inúmeros campos coloridos de flores. Durante o festival você pode fazer um tour por essa deslumbrante área e desfrutar de uma vista paradisíaca; de bicicletas ou por voos de helicópteros, seguramente será uma experiência única e inesquecível!

O tema de Keukenhof para 2018 é Romance in Flowers. Um dos motivos para a escolha deste mote foi o fato do parque ter sido projetado no meio da era romântica (1857) como um jardim ornamental para o Castelo Keukenhof, e porque segundo Bart Siemerink, diretor do parque, “flores e romance estão intrinsecamente ligados”. Durante a cerimônia de abertura houve uma performance de dois atores interpretando Romeu e Julieta. Logo em seguida, a poeta Ester Naomi Perquin recitou uma ode à primavera, escrita especialmente para Keukenhof.
Confira essa bela ode, traduzida do holandês para o inglês, pelo premiadíssimo tradutor David Colmer:

Approach

Of course they’ll never cry out ‘bloom’. Or ‘grass’. Or ‘flowers’.
They’ll never kiss someone who unequivocally
requested same. That’s not a thing they’d do,
it could be taken the wrong way.

They avoid those sky-high misconceptions. Of course they watch the clock.
Arrange a day or hour. Never anything that just slips by and it seems
to lasts forever – like lying in a boat, on quiet water, and in that new-born light,
both looking at the other’s perfect face and thinking:
it’s all just drifting past. Everything But we –

Of course they will not be swayed by things like baby birds in trees
or early morning mist that’s there but can not be touched,
a bride’s sheer veil, the buds’ unfurling or waiting
for the small green heads to nudge
aside the fresh-turned earth –

Careful people keep walking cautiously towards
gray skies. Preferring stasis.
Frost. Reversal.

Those who do not take care turn soft. A kind of blossoming,
of slowly opening – those who do not take care
will stumble soon and fall into
the arms of spring.

Ester Naomi Perquin

Keukenhof 2018

 

Keukenhof 2018 - Romance in Flowers

 

Keukenhof 2018 - Romance in Flowers

 

Keukenhof 2018 - Romance in Flowers

 

Keukenhof 2018 - Romance in Flowers

 

Keukenhof 2018

 

Keukenhof 2018

 

Keukenhof 2018

 

Personagem de destaque do “Parade Flowers” foi o Pato Rubber Duck, todo revestido de flores. O pato é uma criação do artista plástico holandês, Florentijn Hofman. A propósito, tenho a impressão de já ter visto esse pato passeando por terras tupiniquins!!! Será que o plagiaram?

Keukenhof 2018

 

Keukenhof 2018

 

Imagens: Keukenhof / Laurens Lindhout

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

Keukenhof
Bezoekadres
Stationsweg 166A
2161 AM Lisse

 

Os Jardins da Villa Ephrussi de Rothschild

A Villa Ephrussi de Rothschild está localizada na Côte d’Azur, entre Nice e Mônaco, no topo do Cap Ferrat, na Riviera Francesa, o lugar mais glamouroso do mundo!  A Villa tem vista para a Baía de Villefranche e de Beaulieu.

A Villa Ephrussi de Rothschild pertencia à Béatrice Rothschild, filha do renomado barão Alphonse de Rothschild, banqueiro e colecionador de arte.
Aos 19 anos Béatrice se casou com Maurice Ephrussi, um banqueiro parisiense de origem russa.

O casamento não deu certo. Um ano após sua separação, Béatrice recebeu a herança de seu pai e usou o dinheiro para construir o seu próprio palácio cor de rosa, com vista panorâmica para o Mediterrâneo.

Em 1933, um ano antes de sua morte, Béatrice legou sua casa e coleções de arte à Académie des Beaux-Arts. Os jardins foram classificados pelo Ministério da Cultura Francês, como um dos Notáveis Jardins da França.

A Villa está circundada por nove jardins temáticos: Jardim à Francesa, Jardim Espanhol, Jardim Lapidáro, Zoo, Jardim Japonês, Roseiral, Jardim Florentino, Jardim Exótico e Jardim Provençal, criados pelo arquiteto paisagista Achille Duchêne.

Destaque para o Jardim à Francesa, o maior jardim da Villa. Formal, simétrico e com topiarias, é ornamentado com fontes, estátuas e plantas aquáticas. Jogos de jato de água disparam a cada vinte minutos ao som de diferentes trechos de música clássica, dando-nos a impressão de que estamos em um jardim celestial.
Na extremidade do jardim, em uma colina coberta de ciprestes, há uma réplica do Templo do Amor do Petit Trianon, situado no interior do parque do Palácio de Versailles.
Confira:

Jardim Francês

 Villa & Jardins Ephrussi de Rothschild

Jardim Exótico

Jardim Espanhol
Jardim Lapidáro

Jardim Japonês

Vista da sala de jantar na Villa Ephrussi de Rothschild

Villa & Jardins Ephrussi de Rothschild
1 Avenue Ephrussi de Rothschild 06230 Saint-Jean-Cap-Ferrat.
Tel: +33 (0)4 93 01 33 09.

Conheça os Jardins de Christian Préaud

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud, paisagista,  arquiteto, pintor e jardineiro, acredita que um paisagista do século 21, deva ter uma visão holística no momento da criação de seus jardins.
Deve haver consonância entre o paisagismo e o local onde este será inserido. “Não podemos, simplesmente, criar um Jardim Italiano Renascentista, sem pensar em mais nada.” afirma o arquiteto-paisagista.

Préaud nasceu em Paris e passou a infância em Marrocos, Paris e Versalhes.
A paixão pelos jardins veio da observação de sua avó trabalhando a terra.
Cursou arquitetura na ESA Paris e paisagismo na École Nationale Supérieure du Paysage de Versailles em 2001.

Atualmente vive entre Marnes la Coquette e Barcelona. Cria jardins privados na França, Suíça, Marrocos, Oriente Médio e Ásia, mas também trabalha como arquiteto na construção, renovação, projetos de design de interiores e planejamento urbano.

Préaud sempre utiliza linhas retas e limpas para criar jardins que dão continuidade ao espaço privado, respeitando a identidade do lugar, seja ele contemporâneo ou arcaico.
Primoroso, domina a arte de misturar tons – tanto na escolha das plantas como nos materiais decorativos – obtendo o que foi solicitado por cada cliente, jardins em tons pastel, monocromáticos ou coloridos.

Segundo o poético paisagista:  “Maturidade significa estar em harmonia com a terra, estações, velocidade lenta e com o esplendor da vida que irrompe de um jardim. O Jardim do Éden é uma meta inalcançável e nada poderá ser comparado a ele, mas nós podemos tentar recriar o paraíso aqui na terra.”

“É o que eu faço que me ensina o que eu procuro. ”
Pierre Soulages

Confira abaixo, a  delicadeza, presente em seus belíssimos jardins:

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

 Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

 Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud - Tempo da Delicadeza

Christian Préaud

 

Kelly Hoppen assina Chalé na Suíça

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Este lindo chalé situado em uma estância de esqui de luxo na Suíça, foi totalmente repaginado pela renomada designer de interiores Kelly Hoppen, que transformou o antigo projeto em um espaço elegante e aconchegante, bem no estilo Kelly Hoppen.
Originalmente, eram dois apartamentos que, foram convertidos em um só espaço, com uma área de aproximadamente 300 m².
Além de uma belíssima vista para o lago que o rodeia, o chalé possui uma espaçosa sala de estar e jantar integradas, uma cozinha, quatro suítes, um lavabo, um grande hall de entrada e um terraço ao ar livre.
O luxuoso chalé suíço apresenta paleta neutra em tons de creme, cinza e bege além de papel de parede e pequenos toques em rosa e verde esmeralda, que conferiram à residência tradicional um toque de modernidade.
Kelly utiliza também, uma grande quantidade de materiais naturais, incluindo madeira, mármore e coral, para manter o encanto rústico da moradia.
Além da majestosa paisagem que circunda o chalé seus interiores são glamourosos e atemporais, tornando-o acolhedor e convidativo. Um perfeito refúgio de inverno para seus proprietários.
Destaque para os objetos decorativos de Kelly Hoppen, maravilhosas mesas laterais em acrílico McCollin Bryan, blocos em acrílico e madeira Bleu Nature e abajures da Porta Romana.

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Swiss Chalet by Kelly Hoppen - Tempo da Delicadeza

Visite: Kelly Hoppen Interiors
Kelly Hoppen

 

Salvar

Christian Dior apresenta em Paris sua Coleção Primavera 2016

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

O produtor fashion Alex de Betak  cobriu a “Cour Carrée du Louvre” com 400.000 “blue delphiniums”,  para a apresentação do desfile primavera 2016 da Dior na Paris Fashion Week.
Raf Simons  ama flores em suas apresentações, basta lembrar que em 2014, usou 150.000 orquídeas  como pano de fundo para a sua coleção Haute Couture.
O show de hoje também estava belíssimo;  muita organza, algodão, vestidos de seda pura, paleta suave e minis em profusão.
“Para simplificar: a linha que nos expressamos, transmite uma idéia de feminilidade, fragilidade e sensibilidade, sem sacrificar a força e impacto”, declarou Raf Simons.
Destaque para as gargantilhas, muitas usadas sobre um lenço amarrado no pescoço. Algumas tinham um pingente com o número 1947, ano em que Christian Dior lançou sua coleção haute couture de estreia em Paris, mais precisamente em 12 de Fevereiro de 1947, sinalizando o fim do austero estilo masculino e um retorno à delicadeza e à feminilidade.
Confira:

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

Christian Dior, Spring 2016 - Tempo da Delicadeza

 

Imagens: Vogue