Casa Cosentino por Débora Aguiar

Débora Aguiar

A Casa Cosentino, assinada por Débora Aguiar para a CASACOR São Paulo 2018, foi projetada para a contemplação dos quatro elementos naturais, água, fogo, terra e ar.

A Casa que dispõe de 1.100 m² é composta por hall de entrada, suíte master com spa, home theater, espaço gourmet, sala de jantar e living. Todos os ambientes são integrados e permitem tanto a convivência como a privacidade. Vários pontos de transparência voltados para o jardim, permitem a entrada abundante de luz natural.

Na sala de jantar, uma grande mesa de madeira e 30 pendentes do designer Ingo Maurer dão as boas-vindas aos convidados. O pé direito duplo do living com generosos 7 m junto da torre da lareira formam um eixo que integra o estar ao jantar.

“Toda a circulação e integração dos espaços estão voltados para o jardim, favorecendo a luz natural abundante e levando o verde para dentro dos ambientes. Essa transparência junto à natureza é o que busco em meus projetos para trazer aconchego e bem-estar”, disse a arquiteta.

Destaque para as obras de arte presentes em todos os espaços, tanto internos como externos. São quadros e esculturas de grandes artistas como Brecheret, Ascanio, Ceschiatti, Bruno Giorgi, Di Fiori, Sonia Ebling, entre outros. Confira:

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Ilha do closet em Dekton Entzo Cosentino
Débora Aguiar
Aconchego e sofisticação

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Spa

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Escultura de Ascânio MMM
Débora Aguiar
Dekton Domoos nos painéis da area externa

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

 

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Essa penthouse localizada no 40º andar de um edifício situado em Montreal, no Canadá, tem como pano de fundo o Mont Royal e foi assinada pelo designer de interiores Desjardins Bherer.

O layout longo e estreito do apartamento não agradou aos novos proprietários que procuraram o escritório de Bherer para que fosse redefinida a configuração do imóvel.

O living teve uma parede revestida em madeira e nela foi adicionado uma lareira. Na parede perpendicular foi instalada uma televisão, o que anulou o efeito corredor e fez com que a área de circulação funcionasse perfeitamente.

O escritório do proprietário foi posicionado atrás da parede que abriga a lareira. Grandes portas de vidro deslizantes proporcionam quietude e tranquilidade necessárias para ser produtivo.

Contígua à cozinha está a sala de jantar, que completa a extremidade do grande living. Sobre a mesa em ébano escura encontra-se um lustre de Lobmeyr feito em cristais Swarovski, idêntico ao do Metropolitan Opera House em Nova York.

O minimalismo funcional está presente nas luminárias de teto, nas cortinas motorizadas que se recolhem em nichos especialmente projetados para que elas desapareçam por completo e nos armários de cozinha, livres de puxadores e com encaixe perfeito nas paredes.

Desjardins Bherer integrou com maestria a visão do Parque de Mont Royal, proporcionando aos moradores, a possibilidade de desfrutarem de uma paisagem única o ano inteiro. Nada perturba o equilíbrio, nada limita a visão onipresente do exterior, onde até mesmo o mobiliário da sacada foi concebido para que não bloqueasse a vista externa.
Confira:

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Penthouse by Desjardins Bherer

Desjardins Bherer

Imagens: Adrien Williams

 

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Mudanças em termos demográficos e de estilo de vida tem transformado o jeito de morar de inúmeros indivíduos. Atualmente, muitos têm optado por morar só. São solteiros, pessoas que envelheceram ou que já viveram em grandes espaços e decidiram-se por um cotidiano mais fácil em lugares menores e com menos objetos.

A arte do desapego é essencial para essa mudança de estilo de vida.
Morar em pequenos espaços nos obriga a rever conceitos e a preservar apenas o essencial. Desapegar de objetos que possuímos mas não usamos, de eletrodomésticos sem utilidade, até mesmo um fogão pode ser inútil para algumas pessoas, livros que já foram lidos, roupas em excesso, bugigangas…

O design pode ser uma ferramenta fundamental para auxiliar essas pessoas nessa empreitada.

O arquiteto Maxim Kashin, responsável pelo estúdio de arquitetura Monoloko assina os interiores deste apartamento de 60 m² localizado em Moscou. Os espaços são integrados e oferecem vistas panorâmicas para um parque da cidade.

O estilo adotado para este apartamento em Moscou foi o minimalista. Todo o mobiliário está claramente ligado à geometria do espaço, criando um interior unificado e funcional. Foi desenhado pela Monoloko e feito sob medida por artesãos locais. O objetivo era o de criar móveis que pudessem ser transformados quando necessário e adquirir o máximo de espaço para armazenamento, sem deixar de lado a tecnologia.
Confira:

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Apartamento em Moscou

Imagens: Dmitry Chebanenkov

 

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Este apartamento localizado em São Paulo, capital econômica da América Latina, foi totalmente remodelado pelo estúdio de arquitetura Coletivo Arquitetos. O maior desafio apresentado aos profissionais Cesar Coppola e Daniela Coppola foi o de transformar um espaço neoclássico em contemporâneo.

Os novos proprietários, um jovem casal que nutre uma grande paixão pela arte e natureza, buscava espaços que estivessem em sintonia com seus estilos de vida.

A premissa básica do projeto era: “Viver com arte e jardim”.
O apartamento foi totalmente repensado. Paredes foram derrubadas e o interior foi reorganizado para proporcionar uma maior integração e fluxo entre os espaços. Um jardim com árvores frutíferas foi criado na sacada do apartamento, o que trouxe uma atmosfera descontraída e relaxante, além de criar uma transição suave para a urbana e vibrante paisagem de São Paulo.

Uma seleção primorosa de obras dos artistas contemporâneos Alex Katz, Vik Muniz, Abraham Palatinik, Ernesto Neto, Janaina Tschape, Leda Catunda, Nazareno, Alex Prager, Jeff Koons e Ron Galella, enriquecem a decoração dos espaços.

Uma abertura na estrutura de concreto leva a uma adega com paredes em acrílico. Esferas luminosas da Bocci, estão presentes na vegetação da sacada. Os proprietários adoram esferas e elas podem ser vistas em todo o apartamento.
Eu também adoro! Para mim, as formas arredondadas, quebram o excesso de linhas retas nos ambientes contemporâneos e criam um design mais delicado e harmonioso.
Confira:

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Apartamento em SP

Imagens: Rui Teixeira

 

Uma casa em Palm Beach

Os arquitetos Jeremy Bull e Charlene Cong, da empresa de arquitetura e design de interiores Alexander & Co., foram contratados para renovar uma casa de férias de 537 metros quadrados à beira-mar, localizada em Palm Beach, Sydney. O briefing era a criação de um novo layout que refletisse o estilo de vida dos novos proprietários e um enquadramento arquitetônico que melhorasse a circulação entre os espaços internos e externos.

Uma área externa contemporânea e minimalista foi a ideia inicial dos arquitetos, para que o local fosse melhor usufruído por seus moradores. O paisagista Myles Baldwin foi requisitado para que projetasse os jardins da propriedade. Com um jardim mais limpo a vista para o mar foi ampliada. O novo design integrou a casa com a paisagem natural de uma forma harmoniosa e funcional.

Por se tratar de uma casa de férias as áreas de convivência ganharam destaque. A abertura em grande escala realizada pelo paisagista proporcionou mais espaços para o entretenimento, como jantares ao ar livre. Varandas e pátios foram projetados pelos arquitetos, de maneira a oferecer privacidade para a leitura ou simplesmente para relaxar e apreciar a vista em momentos mais silenciosos.

A cozinha, a sala de jantar e o living foram integrados e se abrem para o exterior por meio de amplas portas de vidros. A combinação de materiais nobres, como o piso em nogueira escura com o teto em madeira clara faz uma interessante composição com o mármore de Carrara utilizado nos banheiros e na cozinha,

A casa utiliza acessórios, iluminação e revestimentos artesanais. A paleta em tons neutros cria uma atmosfera tranquila e serena. O mobiliário é mínimo e não segue as últimas tendências de design. Uma casa de férias confortável e com estética contemporânea, como desejavam os proprietários.
Confira essa casa na Palm Beach australiana:

Imagens: Felix Forest

Alexander & Co.
Level 3, Studio 306
53-59 Great Buckingham Street
redfern NSW 2016

 

Salvar

Salvar