Opera: Passion, Power and Politics

Victoria and Albert Museum

 

Victoria and Albert Museum

 

Victoria and Albert Museum

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
O Museu Victoria & Albert em colaboração com o Royal Opera House hospedou em sua nova Galeria Sainsbury uma grande e inovadora exposição: Opera: Passion, Power and Politics, que resumiu a fascinante história de quatro séculos de ópera, desde a Itália Renascentista até as  produções vanguardistas dos dias de hoje. Não foi uma exposição convencional. Um túnel do tempo com um sistema de som de última geração conduzia os visitantes à Veneza, Londres, Viena, Milão, Paris, Dresden e Leningrado, hoje São Petersburgo, cidades em que foram estreadas as óperas apresentadas na mostra.

A exposição aconteceu de 30 de setembro a 25 de fevereiro último, em Londres, e ofereceu aos visitantes uma experiência totalmente imersiva. Um verdadeiro show multimídia que apresentou figurinos, partituras, rótulos de parede, slogans, telões, obras de arte históricas, artefatos e obviamente, gloriosas árias. Um sistema de  audioguia detectava automaticamente onde o visitante se encontrava e passava a transmitir explicações, comentários e músicas referentes a esse ambiente. Por exemplo, se você se aproximasse do piano de Mozart, imediatamente, você ouviria um trecho de Le nozze di Figaro. Mágica? Não, alta tecnologia!!!

Algumas pessoas do meu convívio consideram a ópera arcaica, superada e elitista. Afirmam que eu não falo sério quando digo que gosto desse gênero de música. Não sou nenhuma grande conhecedora, mas aprecio. Para mim, a ópera é uma mistura visceral de música, drama, excessos, intensidade e arte. Para o diretor artístico da exibição Opera: Passion, Power and Politics, Robert Carsen: “A ópera é algo vivo. Sempre foi moderna. Durante séculos tem  inspirado a agitação política e as mudanças sociais. A paixão, o poder e a política, mantém a ópera atualizada.”

A exposição iniciava o seu percurso por Veneza, berço da ópera, com L’Incoronazione di Poppea, de Claudio Monteverdi, que estreou no Teatro Santi Giovanni e Paolo por ocasião do carnaval de 1643. O visitante ouve o primeiro dueto emocional de amor.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Em Londres, enquanto os visitantes observavam uma instalação inspirada em um teatro barroco, ouviam Rinaldo, primeira ópera escrita pelo compositor alemão, naturalizado britânico, Handel.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

A terceira etapa desta viagem é a Viena de Mozart. Apresentou Le Nozze di Figaro, que estreou em maio de 1786 no Burgtheater. Se você é apaixonado por Mozart, seguramente saiu da exposição com a ária  “Non so più cosa son, cosa faccio”, persistindo em seus ouvidos por algumas horas.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

O grande destaque da exposição foi Milão. Uma maravilhosa instalação apresentava um conjunto com 150 fotografias de interiores de teatros italianos, fotografados por Matthias Schaller, ao som de Va Pensiero, da ópera Nabucco de G. Verdi.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Enfim, chegava-se à elegante e encantadora Paris. Tannhäuser de Wagner estreou sua versão francesa em 1861, na Ópera de Paris. Nas paredes pinturas de Degas, Gonzalès e Manet, retratando o hábito parisiense de frequentar óperas e concertos.

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
A Box at the Theatre des Italiens, Eva Gonzalès, oil painting, 1874, France. © Musée d’Orsay.

 

Opera: Passion, Power and Politics
Edgar Degas Ballet de las monjas from Giacomo Meyerbeer’s opera, Roberto le diable.

 

Opera: Passion, Power and Politics
Ernst von Schuch van Robert Sterl Impressionisme

 

Opera: Passion, Power and Politics
Music in the Tuileries Garden, oil painting, Edouard Manet, 1861 – 62. National Gallery NG3260. © The National Gallery, London/Scala, Florence

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

No início do século XX, estreava em Dresden, na Alemanha, a ópera Salomé, de Richard Strauss. Baseada na tragédia de Oscar Wilde, a peça escandalizou toda a sociedade de Dresden. Para contextualizar Salomé, os organizadores da mostra destacaram Dresden como um mundo dos “Estudos de Freud sobre a Histeria” e da arte expressionista. Jogos de luzes lançados sobre modelos em poses provocativas em sofás de stripy, telões onde observava-se cenas de  nudismo e a performance recente de uma Salomé sangrando, acariciando eroticamente a cabeça cortada de João Batista.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
Nadja Michael (as Salome) in the production “Salome” at the Royal Opera House, in London. (Photo by robbie jack/Corbis via Getty Images)

 

Opera: Passion, Power and Politics
Dmitri Shostakovich

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Em Leningrado, final da exposição, outro filme é exibido em telões. Imagens de um documentário em que Dmitri Shostakovich compunha sua ópera sob o olhar vigilante e patológico de Stalin. A ópera era Lady Macbeth, apresentada pela primeira vez em 1934 e logo em seguida banida por Stalin por não condizer com os costumes vigentes e difundir ideias errôneas de como uma mulher soviética deveria se comportar. Os posters expostos representavam o modernismo soviético.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

“Dia Internacional da Mulher” , por Mihály Biró. Enfatiza o papel das mulheres no movimento socialista. Uma mulher forte e confiante é mostrada a passos largos e segurando a bandeira vermelha do socialismo.

 

Opera: Passion, Power and Politics

Finalizada a fabulosa exposição Opera: Passion, Power and Politics, tenho certeza que grande parte dos visitantes retornaram com uma vontade muito grande de mergulhar nas profundezas da música clássica.

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Siga-nos:
pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

Gérard Faivre Paris, um dos mais famosos designer de interiores do mundo, está revolucionando o mercado imobiliário de luxo parisiense. Seu objetivo é atender às mais altas expectativas de seus  clientes, oferecendo apartamentos totalmente reformulados, com acabamentos de alta qualidade, mobiliário de design, obras de arte, serviço completo de concierge e tecnologia de ponta. Tudo isso pronto para morar.

Faivre afirma ser inspirado diariamente, pela Cidade da Luz, Paris, considerada uma das mais belas do mundo, por sua arquitetura, cultura e bairros de incomparável beleza.

Para a renovação deste luxuoso apartamento com mais de 200 m², localizado na margem direita do Sena, próximo às Avenidas Montaigne e Champs Elysée, mais precisamente na Rue Lincoln, Gérard Faivre inspirou-se na Alta Costura parisiense.

Em estilo Hausmann, o espaçoso imóvel, mesmo com tetos altos, piso em parquet, lareira em mármore, boiserie e grandes espelhos, estava um pouco ultrapassado. Faivre atualizou a planta, criou um novo layout e adicionou à decoração vários elementos de luxo, como as molduras com detalhes em prata, que acentuaram a elegância do apartamento.

O interessante hall de entrada abre-se para vários lounges e também  para as duas suítes que foram dispostas ao redor do Living, simulando uma grande casa de moda.

As cores utilizadas no apartamento em Paris, são as preferidas dos grandes costureiros, (preto, branco, cinza e bege) que adicionou sobriedade, luxo e contemporaneidade aos espaços.

Quem gosta de uma decoração barroca irá se apaixonar pelo teto oval e pela boiserie em estilo rococó. Gérard Faivre quis preservar a história do imóvel e decidiu mantê-las.
Confira:

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Um grande espelho esconde a TV.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“Archibald” poltrona de Jean Marie Massaud para Poltrona Frau.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
O pintor Dupuis Gilles reproduziu as veias do mármore da mesa de centro nas paredes.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“Zwibel III”, de Mona Andeleanu, óleo sobre tela da Oneiro Gallery – Paris.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Sofa R&D para Poltrona Frau. Gérard Faivre usou para o revestimento o tecido “Cherie”, que lembra os usados por Coco Chanel.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Mesa espelhada.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Mesa de centro por Jaime Hayon.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Deslumbrante parquet original em madeira.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“Falter II” de Mona Andeleanu, óleo sobre tela, da Oneiro Gallery – Paris.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“I only have eyes for you” – black coffee table by Damien Langlois

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Poltrona contemporânea by Nika Zupanc.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Sofa by Nika Zupan.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“Well Matched Couple” – Escultura em bronze por Chen Ting-Hung da Galeria Chuan – Taiwan.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Fotografia by Arthur Elgort.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Fotografia “Blanche” e “Adèle” da série Whispers de Emmanuelle Bousquet.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
O mesmo Hall de Entrada, abrindo-se para as suítes do apartamento.
 Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Papel de Parede da “Elitis”, aplicado atrás da cabeceira, reproduz o couro usado no closet.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Papel de Parede “Burlesque” de Christian Benini para “Wall and Deco”. O papel foi escolhido por lembrar a renda usada frequentemente por Balenciaga.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

 Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

 Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Papel de parede “Pied de Poule” aplicado atrás da cabeceira e no banheiro. Um clássico da alfaiataria, usado por Chanel e Dior.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
“East Beauty II”, 2009 – fotografia de Serge Guerand, acrescenta graciosidade ao banheiro.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre
Área Externa.

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

Apartmento em Paris by Gérard Faivre

 

 

portrait-gerard-lincoln10
Gérard Faivre

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

CHANEL apresenta o desfile Métiers d’Art Show 2014/15 em Salzburg

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Karl Lagerfeld apresentou seu último desfile  “Métiers d’Art 2014” no suntuoso Castelo Schloss Leopoldskron, em Salzburg, Áustria.
O palácio aclamado por sua arquitetura romântica, com vista para o lago Leopoldskroner Weiher, serviu de cenário para o filme “A Noviça Rebelde“.
A programação para os convidados começou quatro dias antes, com direito a aula de valsa e tour pela cidade. No dia que antecedeu o desfile, foi oferecido um jantar e exibição especial do filme “Reincarnation”, com participação de Cara Delevingne e Pharrell Willians.
Vale lembrar que Salzburg foi o local onde Coco Chanel obteve inspiração para a sua icônica “little black jacket”.

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza
Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Chanel Métiers d’Art Show | Tempo da Delicadeza

Imagens:
chanel
style

O apartamento de Coco Chanel

Mademoiselle Chanel - Tempo da Delicadeza



O artista, fotógrafo e cineasta Sam Taylor-Johnson foi convidado a fotografar o interior do apartamento de Coco Chanel em Paris.
Estas fotografias encontram-se em uma exposição intitulada “Second Floor: The Private Apartment Of Mademoiselle Chanel”, na Saatchi Gallery em Londres até dia 04 de outubro.

A partir da escadaria espelhada que conduz ao apartamento, a intimidade de Coco Chanel é revelada por meio de várias imagens, como a da icônica cadeira branca em que  foi fotografada inúmeras vezes, inclusive por Horst em 1937.

Objetos como espelhos venezianos octogonais dourados, paredes empilhadas com edições encadernadas em couro, das obras de Shakespeare e Voltaire, Coromandel lacado, lustre de cristal de rocha, leões dourados e muitas miniaturas, fazem deste apartamento algo totalmente barroco em notória contraposição à marca Chanel que apresenta uma estética minimalista.
Confira:

Coco Chanel Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Chanel’s Paris Flat - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza
Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Coco Chanel's Apartment - Tempo da Delicadeza

Paris - Tempo da Delicadeza
Praça Vendôme

Imagens: Pinterest

Chanel Haute Couture fall 2014

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Para o desfile de alta costura de inverno da Chanel, Karl Lagerfeld não fez uso de cenários grandiosos, estes foram substituídos por um approach modesto, moderno e minimalista. Simplesmente uma lareira e um grande espelho barroco dourado.
‘É o encontro do barroco com Le Corbusier’, disse Karl, explicando que sua inspiração veio de  imagens de um apartamento da década de 1930, desenhado pelo arquiteto do modernismo, que havia instalado um espelho oval dourado em uma parede de concreto em um prédio acima da Champs Élysées.
Vestidos barrocos, misturavam se com sandálias baixas, amarradas com um laço de cetim. Os detalhes em bordados glamourosos, definiram a coleção que estava  deslumbrante!
Karl acertou nesta coleção. A habilidade manual da alta costura foi usada, mas sem mostrar roupas estranhas ou extravagantes.
A sequência de vestidos brancos culminou com a a tradicional noiva, a modelo Kiwi Ashleigh Boa, desfilando grávida de sete meses.

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture fall 2014

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza
Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture fall 2014

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Chanel Haute Couture  - Tempo da Delicadeza

Imagens: Style and Tumblr