Casa Cosentino por Débora Aguiar

Débora Aguiar

A Casa Cosentino, assinada por Débora Aguiar para a CASACOR São Paulo 2018, foi projetada para a contemplação dos quatro elementos naturais, água, fogo, terra e ar.

A Casa que dispõe de 1.100 m² é composta por hall de entrada, suíte master com spa, home theater, espaço gourmet, sala de jantar e living. Todos os ambientes são integrados e permitem tanto a convivência como a privacidade. Vários pontos de transparência voltados para o jardim, permitem a entrada abundante de luz natural.

Na sala de jantar, uma grande mesa de madeira e 30 pendentes do designer Ingo Maurer dão as boas-vindas aos convidados. O pé direito duplo do living com generosos 7 m junto da torre da lareira formam um eixo que integra o estar ao jantar.

“Toda a circulação e integração dos espaços estão voltados para o jardim, favorecendo a luz natural abundante e levando o verde para dentro dos ambientes. Essa transparência junto à natureza é o que busco em meus projetos para trazer aconchego e bem-estar”, disse a arquiteta.

Destaque para as obras de arte presentes em todos os espaços, tanto internos como externos. São quadros e esculturas de grandes artistas como Brecheret, Ascanio, Ceschiatti, Bruno Giorgi, Di Fiori, Sonia Ebling, entre outros. Confira:

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Ilha do closet em Dekton Entzo Cosentino
Débora Aguiar
Aconchego e sofisticação

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Spa

Débora Aguiar

Débora Aguiar

Débora Aguiar
Escultura de Ascânio MMM
Débora Aguiar
Dekton Domoos nos painéis da area externa

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

 

SP-Arte 2018

SP-Arte 2018

SP-Arte 2018

SP-Arte 2018

 

De 12 a 15 de abril acontece em São Paulo a 14ª edição da SP-Arte, que traz à capital paulista, o melhor da arte moderna e contemporânea. O festival está aberto ao público, no pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera. São mais de 140 expositores, expoentes do mercado nacional e internacional. Das 34 galerias internacionais que participam do evento, 13 são novatas e apresentam alguns de seus artistas mais notáveis. O evento agrega uma série de mostras paralelas e complementares, com visitas guiadas que saem a cada meia hora do balcão na entrada do Pavilhão. Entre os trabalhos expostos, o público poderá conferir os projetos “Solo e Repertório”, com a curadoria de Luiza Teixeira de Freitas. Os espaços foram concebidos com o objetivo de evidenciar a produção de importantes nomes do cenário contemporâneo. Programa imperdível para quem estiver em São Paulo, no final de semana.
Tempo da Delicadeza fez suas escolhas, e indica o que considera essencial para ser visto na SP-Arte 2018. Confira:

 

SP-Arte 2018
Anish Kapoor – Shadow III 7 – Técnica: Gravura em metal – © ArtEEdições Galeria

 

SP-Arte 2018
Marina Weffort –  da série “Tecidos”  © Pat Kilgore / Cavalo

 

SP-Arte 2018
Marina Weffort – da série “Tecidos” © Pat Kilgore / Cavalo

 

SP-Arte 2018
João José Costa – Galeria Berenice Arvani – Técnica: Guache sobre cartão – © Galeria Berenice Arvani

 

SP-Arte 2018
João José Costa – Galeria Berenice Arvani – Técnica: Guache sobre cartão – © Galeria Berenice Arvani

 

Steve McCurry – Galeria de Babel – Título: Tempestade de Areia (Rajasthan, India) Data do trabalho: 1983. Técnica: C-print digital no papel Fuji Flex Crystal Archive adesivado em ACM (aluminio composto). Moldura em folha de madeira tratada de nogueira e vidro anti-reflexo alemão 99% proteção Dimensões: 55,3 x 36,7 x 7 cm :copyright: Steve McCurry / Galeria de Babel

 

Steve McCurry – Vendedor de Flores em Dal Lake (Jammu e Kashmir. Srinagar, India) Steve McCurry – :copyright: Steve McCurry / Galeria de Babel – Técnica: C-print digital no papel Fuji Flex Crystal Archive adesivado em ACM (aluminio composto). Moldura em folha de madeira tratada de nogueira e vidro anti-reflexo alemão 70% proteção.

 

Steve McCurry – Título: Menina Afegã com Xale Verde. Data do trabalho: 2002. Técnica: C-print digital no papel Fuji Flex Crystal Archive adesivado em ACM (aluminio composto). Moldura em folha de madeira tratada de nogueira e vidro anti-reflexo alemão 70% proteção – :copyright: Steve McCurry / Galeria de Babel

 

SP-Arte 2018
Ted Larsen – Privateview Ted Larsen – Técnica: Ferro, compensado marítimo, :copyright: Privateview

 

SP-Arte 2018
Martin Derner – Kubikgallery, :copyright: Constança Babo / Kubikgallery

 

Pixinguinha
Walter Firmo – Galeria Mario Cohen – Título: Pixinguinha I. Data do trabalho: 1964 Técnica: Impressão digital em papel de algodão, :copyright: Galeria Mario Cohen.

 

SP-Arte 2018
Andrei Thomaz – Adelina Galeria  – Título: Céus -Técnica: Fotografia :copyright: Andrei Thomaz / Adelina Galeria

 

SP-Arte 2018
Marília Bianchini – Galeria de Arte Mamute – Título: Revoada Data do trabalho: 2017 Técnica: Fotografia com impressão sobre papel artesanal – © Galeria de Arte Mamute

 

Volpi
Alfredo Volpi – Dan Galeria Alfredo Volpi Título: Velas e mastros Data do trabalho: 1970 Técnica: Têmpera sobre tela Dimensões: 137 x 68 cm :copyright: Dan Galeria

 

SP-Arte 2018
Luzia Simons – Bolsa de Arte de Porto Alegre Luzia Simons. Título: Stockage 128 – Técnica: Scanograma, impressão light jet, metacrilato – © Bolsa de Arte de Porto Alegre

 

SP-Arte 2018
Adriano de Aquino – OÁ Galeria – Técnica: Poliuretano uretano sobre alumínio – © Bruno Coelho / OÁ Galeria

 

SP-Arte 2018
Luiz Sacilotto – Dan Galeria – Título: C 9991- Técnica: Tinta acrílica sobre tela – © Dan Galeria

 

SP-Arte 2018
Vik Muniz – Galeria Nara Roesler – The Abaporu, after Tarsila – Técnica: Impressão de pigmento sobre papel de algodão – © Vik Muniz / Galeria Nara Roesler

 

SP-Arte 2018
Josef Albers – :copyright: The Josef and Anni Albers Foundation / Artists Rights Society (ARS), New York. Courtesy David Zwirner, New York/London/Hong Kong

 

SP-Arte 2018
Fernanda Fragateiro – Técnica: Carderno acrílico ,© António Jorge Silva. Courtesy of the artist and the Galería Elba Benítez.

 

 Núcleo editorial:

 

SP-Arte 2018
Betina Samaia – Editora Madalena – Título: Noite afora noite adentro – Data do trabalho: 2017 Fotolivro :copyright: Editora Madalena

 

SP-Arte 2018
Adriana Varejão, Lilia Moritz Schwarcz – Título: Pérola Imperfeita: A história e as histórias na obra de Adriana Varejão :copyright: Cobogó

 

SP-Arte 2018
Marcelo Brodsky – Editora Madalena -Título: 1968: The fire of ideas – Data do trabalho: 2017 Fotolivro © Editora Madalena

 

SP-Arte 2018
Sebastião Salgado – Taschen – Título: Gênesis. Data do trabalho: 2013 Fotolivro © Taschen

 

SP-Arte 2018
Yoko Ono e John Lennon – Desapê Yoko Ono e John Lennon Título: This is not here Data: 1971 Publicação de artista Dimensões: 55.5 x 43 cm © Rose Steinmetz / Desapê

 

Design:

Os mais destacados expositores do mobiliário brasileiro dividem espaço com respeitados antiquários e designers independentes. “O mobiliário moderno brasileiro é referência no mundo inteiro. Hoje, nossos designers contemporâneos também vêm criando uma produção cheia de personalidade que é reconhecida internacionalmente. Queremos então, reunir todo esse potencial do design brasileiro ao Festival: seja ele antigo, moderno ou contemporâneo, produzido em maior ou menor escala e das mais diversas vertentes”, afirma Fernanda Feitosa, diretora da SP-Arte. Os estandes do setor apresentam luminárias, peças de tapeçaria, além de mobiliário moderno e contemporâneo. Tudo disposto em um ambiente que convida o público a ter um contato próximo com as peças e interagir com os criadores.

 

SP-Arte 2018
Paulo Alves – Estúdio Paulo Alves – Peça: Chaise Sereia Data do trabalho: 2005 – Materiais: Compensado multilaminado de sumaúma – Dimensões: 75 cm x 1,77 m x 54 cm © Estúdio Paulo Alves

 

SP-Arte 2018
Paulo Alves – Estúdio Paulo Alves – Poltrona Bombom – Data do trabalho: 2017 Materiais: Madeira e tecido Dimensões: 60 x 60 x 60 cm :copyright: Estúdio Paulo Alves

 

SP-Arte 2018
Hugo França – Hugo França – Peça: Cadeira Leza. Data do trabalho: 2017 – Materiais: Madeira Pequi Dimensões: 64 x 49 x 46 cm :copyright: André Godoy / Hugo França

 

SP-Arte 2018
Ana Neute por Itens – Peça: Shanghai Data do trabalho: 2016 – Luminária em cobre escovado e branco microtextura. Dimensões: 60 x 40 x 40 cm :copyright: Nicolas Camargo / Ana Neute por Itens

 

SP-Arte 2018
Ana Neute por Itens – Jabuticaba. Data do trabalho: 2016. Materiais: Luminária em latão escovado e globos em vidro Dimensões: 25 x 170 x 25 cm :copyright: Nicolas Camargo / Ana Neute por Itens

 

SP-Arte 2018
Jacqueline Terpins – Peças: Vaso Glacial I + Vaso Glacial II Data do trabalho: 2018 Materiais: Cristal Soprado Free Form Dimensões: 45 x 30 x 17,5 (maior) e 19 x 9 x 8 (menor) © Andrés Otero / Jacqueline Terpins

 

SP-Arte 2018
Jacqueline Terpins – Peça: Vaso Corte Data do trabalho: 2018 Materiais: Cristal Soprado Free Form. Dimensões: 42 x 17 x 15 cm :copyright: Andrés Otero / Jacqueline Terpins

 

Sp-Arte/2018
12 a 15 de abril
13h às 21h
Pavilhão da Bienal, Parque Ibirapuera, Portão 3
São Paulo – Brasil

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 
Entrada: R$ 45,00 (geral), R$ 20,00 (meia proporcional) – estudantes, portadores de deficiência e idosos com mais de 60 anos – necessário a apresentação de documentos.
O Vale-Cultural poderá ser utilizado para o abatimento de 50% do valor do ingresso. Crianças de até 10 anos não pagam.

 

Especial Casa Decor 2018

 Casa Decor 2018
De 15 a 25 de março acontece em Madri a 53ª Edição da Casa Decor. Apenas nove meses após o encerramento da edição de 2017, a nova exposição surge em tempo recorde.

O evento acontece no Edifício de Francisco de Rojas 2, construído entre 1900 e 1903 pelo arquiteto catalão Antonio Farrés Aymerich. O imponente prédio de apartamentos é um magnífico exemplo do rico patrimônio urbano de Madri. Dispõe de 55 metros de fachada com 68 charmosas porta janelas, cujo projeto de iluminação foi realizado por Ane López Botelha.

O visitante encontrará nessa edição, uma explosão de cores, criatividade e Maximalismo. Os estilos decorativos passeiam por diferentes épocas, e vão desde o retrofuturismo do Mid Century  até as envolventes linhas do Art Deco, que foram ligeiramente atualizadas.

A Casa Decor 2018 destinará a renda obtida para a Entreculturas. Essa organização, sem fins lucrativos, realiza programas de capacitação para crianças em países de conflito, oferecendo apoio psicossocial e denunciando as práticas nocivas sofridas por meninas, jovens e mulheres em todo o mundo. Um belo exemplo a ser seguido pelas mostras de decoração que acontecem no Brasil: reverter a renda ou parte dela para entidades sociais.

Confira abaixo alguns dos ambientes da Casa Decor 2018:

Hall por Inmaculada Recio e Silvia Trigueros

“Todo lo bueno viene en caja pequeña”, afirmam as designers Inmaculada Recio e Silvia Trigueros, que assinaram o hall da Casa Decor 2018. Um pequeno espaço que concentra a essência do luxo. Um luxo reforçado pelo uso de materiais de qualidade, texturas e decoração. Um conjunto de painéis gera uma atmosfera contemporânea, onde o desenho geométrico coexiste com o classicismo dos elementos decorativos.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Loft “Pied à terre” por Fran Cassinello

Um espaço visualmente impactante e sofisticado. Um living romântico com acabamento contemporâneo, mas sem perder o aroma de uma outra época.

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Quarto e Closet por Asun Antó

“O espaço nos conta a história das pessoas que nele vivem”,  afirma a designer responsável por esse projeto. Esse quarto-closet foi desenhado para um casal amante da arte e da organização. Um ambiente notável e acolhedor.

 

Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018
Maravilhoso portrait by Lidia Masllorens

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Embaixada de Portugal por Beatriz Silveira

Arte e design em uma sala de estilo clássico.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Apartamento Bélgica por Inmaculada Recio e Silvia Trigueros

O piso em madeira harmoniza-se com a luminosidade do carvalho presente no mobiliário. Pinceladas em preto, revestimentos nas paredes e teto, molduras e papéis de parede agregam elegância ao ambiente.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Natuzzi por Raul Martins

Pelo quarto ano consecutivo o espaço Natuzzi é assinado por Raul Martins. Uma paleta suave e peças pertencentes ao designer associaram-se à nova coleção da Natuzzi 2018. O resultado é um espaço vanguardista, elegante, harmonioso e boêmio.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Escada Espaço Sunbrella por Izaskun Chinchilla Architects 

 

 Casa Decor 2018

 

Quarto projetado por Nuria Alía

Nesse espaço podemos perceber influências art déco, nas formas curvas e geométricas de algumas peças do mobiliário e nos objetos de decoração.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Axor projetado por Inmmaculada Recio e Silvia Trigueros

O espaço contempla dois banheiros: feminino e masculino. O feminino apresenta um acabamento bastante delicado. As paredes foram revestidas em seda bordada, que nos transporta para lugares exóticos e distantes. O espaço masculino é mais sóbrio. Apresenta revestimento geométrico que preenche o ambiente com força viril e masculinidade.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 Casa Decor 2018

 

Espaço Geberit por Moises Royo

O espaço seduz o visitante por meio de uma iluminação cênica.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Jacob Delafon por Manuel Espejo

Elegância e sobriedade são a tônica desse espaço projetado por Manuel Espejo para a sofisticada   Jacob Delafon, marca francesa de louças, mobiliário e metais para banheiros.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Banheiro Público por Virgínia Sanchez e Moisés Garcia

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Laufen por Katty Schiebeck 

A arquiteta resgata valores que une o passado ao futuro. Com um amálgama de glamour e futurismo o neon coexiste em uma  uma atmosfera sofisticada.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

Cozinha projetada por Beatriz Sanchez e Eva Martin

Detalhes que organizam o espaço.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Cozinha e Sala de Jantar Conjugada por Espaço Dica

Um projeto em que o espaço se transforma em uma cozinha prática e cosmopolita, evidenciando o estilo característico do Espaço Dica: evocar o glamour de épocas passadas com um toque de contemporaneidade.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Escenium  por Jose Hernandez e Tamara Delgado

Os arquitetos projetaram um espaço que desafia a geometria. Novos conceitos com linhas em movimento que se fundem com a luz. Formas de grande dinamismo, volumes envolventes e grande impacto visual.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Cozinha por Patricia Bustos

A cozinha de Patricia Bustos é ousada e navega entre o Oriente e o Ocidente.

 Casa Decor 2018

 

Cozinha por Adriana Nicolau

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Suíte por Hubble Batavia

 Casa Decor 2018

 

Lavanderia Samsung por Guillermo Garcia

 Casa Decor 2018

 

Detalhes do Espaço Schneider por Almudena Rebuelta

 Casa Decor 2018

 

Espaço Luzco por Estudio Alegría

Um espaço íntimo, feminino e delicado, com uma paleta de cores pastel, onde os detalhes se sobressaem.

 Casa Decor 2018

 

Espaço Jung por Juan Fuentes

“O homem precisa de cor para viver.”

O arquiteto franco-suíço Le Corbusier foi classificado pela revista Art Magazin de “Leonardo dos tempos modernos”.

Para Le Corbusier, tudo era uma questão harmoniosa de cores. Sua magnífica “Policromia Arquitetônica” é uma importante fonte de inspiração quando se trata do design de espaços.

Em reconhecimento ao trabalho de Le Corbusier, Juan Fuentes reinterpretou os clássicos interruptores LS990 nas 63 cores exclusivas Les Couleurs® Le Corbusier.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Loewe Perfumes por Pepe Leal

O espaço projetado pelo renomado Pepe Leal teve como inspiração a nova fragrância  LOEWE SOLO Origami.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Loft projetado por Miguel Munõz

Imagine se você pudesse viver em vários lugares do mundo. Talvez fosse menos impessoal dispor de um loft em cada localidade do que ficar hospedado em hotéis. Miguel Munõz idealizou essa possibilidade ao projetar o seu espaço na Casa Decor 2018. Segundo o arquiteto, os ambientes devem ser versáteis, dando ênfase à tecnologia. Tudo deve ser muito prático para facilitar a vida do morador, mas sem perder o aconchego de um lar.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

“Passilleando con estilo” por Soledad Ordonez

O espaço pequeno e estreito conduz à uma porta de emergência. Peças de espelho envelhecido papéis de parede com textura, rodapés com LED e piso em mármore, não deixaram o espaço passar desapercebido.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Restaurante Samsung por Beatriz Silveira

Um espaço onde a tecnologia e o glamour se unem em dois salões. O restaurante apresenta uma atmosfera azul, em que as telas Samsung QLED de última geração proporciona aos visitantes uma experiência de som e imagem inigualáveis.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Saint Gobain por Diego Rodriguez

O profissional priorizou o conforto no projeto deste living, dando destaque para a lareira.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Espaço Sicis por Erico Navazo

O arquiteto projetou esse espaço para Sicis, sofisticada empresa de design, utilizando a nova coleção de mobiliário e tecidos para decoração.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Living Room projetado por Jaime Jurado

O artista plástico e designer de interiores Jaime Jurado usou no Living cores sóbrias e elegantes com ousadas pinceladas de cores. A arte está muito presente nesse projeto e muitas obras são do próprio profissional.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Sinalética por Andrea Palanco, Ico Rodriguez e Amélia Roman

Elegante, minimalista e contemporânea.

 Casa Decor 2018

 

 Casa Decor 2018

 

Siga-nos:

pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

Victoria and Albert Museum

 

Victoria and Albert Museum

 

Victoria and Albert Museum

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
O Museu Victoria & Albert em colaboração com o Royal Opera House hospedou em sua nova Galeria Sainsbury uma grande e inovadora exposição: Opera: Passion, Power and Politics, que resumiu a fascinante história de quatro séculos de ópera, desde a Itália Renascentista até as  produções vanguardistas dos dias de hoje. Não foi uma exposição convencional. Um túnel do tempo com um sistema de som de última geração conduzia os visitantes à Veneza, Londres, Viena, Milão, Paris, Dresden e Leningrado, hoje São Petersburgo, cidades em que foram estreadas as óperas apresentadas na mostra.

A exposição aconteceu de 30 de setembro a 25 de fevereiro último, em Londres, e ofereceu aos visitantes uma experiência totalmente imersiva. Um verdadeiro show multimídia que apresentou figurinos, partituras, rótulos de parede, slogans, telões, obras de arte históricas, artefatos e obviamente, gloriosas árias. Um sistema de  audioguia detectava automaticamente onde o visitante se encontrava e passava a transmitir explicações, comentários e músicas referentes a esse ambiente. Por exemplo, se você se aproximasse do piano de Mozart, imediatamente, você ouviria um trecho de Le nozze di Figaro. Mágica? Não, alta tecnologia!!!

Algumas pessoas do meu convívio consideram a ópera arcaica, superada e elitista. Afirmam que eu não falo sério quando digo que gosto desse gênero de música. Não sou nenhuma grande conhecedora, mas aprecio. Para mim, a ópera é uma mistura visceral de música, drama, excessos, intensidade e arte. Para o diretor artístico da exibição Opera: Passion, Power and Politics, Robert Carsen: “A ópera é algo vivo. Sempre foi moderna. Durante séculos tem  inspirado a agitação política e as mudanças sociais. A paixão, o poder e a política, mantém a ópera atualizada.”

A exposição iniciava o seu percurso por Veneza, berço da ópera, com L’Incoronazione di Poppea, de Claudio Monteverdi, que estreou no Teatro Santi Giovanni e Paolo por ocasião do carnaval de 1643. O visitante ouve o primeiro dueto emocional de amor.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Em Londres, enquanto os visitantes observavam uma instalação inspirada em um teatro barroco, ouviam Rinaldo, primeira ópera escrita pelo compositor alemão, naturalizado britânico, Handel.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

A terceira etapa desta viagem é a Viena de Mozart. Apresentou Le Nozze di Figaro, que estreou em maio de 1786 no Burgtheater. Se você é apaixonado por Mozart, seguramente saiu da exposição com a ária  “Non so più cosa son, cosa faccio”, persistindo em seus ouvidos por algumas horas.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

O grande destaque da exposição foi Milão. Uma maravilhosa instalação apresentava um conjunto com 150 fotografias de interiores de teatros italianos, fotografados por Matthias Schaller, ao som de Va Pensiero, da ópera Nabucco de G. Verdi.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Enfim, chegava-se à elegante e encantadora Paris. Tannhäuser de Wagner estreou sua versão francesa em 1861, na Ópera de Paris. Nas paredes pinturas de Degas, Gonzalès e Manet, retratando o hábito parisiense de frequentar óperas e concertos.

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
A Box at the Theatre des Italiens, Eva Gonzalès, oil painting, 1874, France. © Musée d’Orsay.

 

Opera: Passion, Power and Politics
Edgar Degas Ballet de las monjas from Giacomo Meyerbeer’s opera, Roberto le diable.

 

Opera: Passion, Power and Politics
Ernst von Schuch van Robert Sterl Impressionisme

 

Opera: Passion, Power and Politics
Music in the Tuileries Garden, oil painting, Edouard Manet, 1861 – 62. National Gallery NG3260. © The National Gallery, London/Scala, Florence

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

No início do século XX, estreava em Dresden, na Alemanha, a ópera Salomé, de Richard Strauss. Baseada na tragédia de Oscar Wilde, a peça escandalizou toda a sociedade de Dresden. Para contextualizar Salomé, os organizadores da mostra destacaram Dresden como um mundo dos “Estudos de Freud sobre a Histeria” e da arte expressionista. Jogos de luzes lançados sobre modelos em poses provocativas em sofás de stripy, telões onde observava-se cenas de  nudismo e a performance recente de uma Salomé sangrando, acariciando eroticamente a cabeça cortada de João Batista.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics
Nadja Michael (as Salome) in the production “Salome” at the Royal Opera House, in London. (Photo by robbie jack/Corbis via Getty Images)

 

Opera: Passion, Power and Politics
Dmitri Shostakovich

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Em Leningrado, final da exposição, outro filme é exibido em telões. Imagens de um documentário em que Dmitri Shostakovich compunha sua ópera sob o olhar vigilante e patológico de Stalin. A ópera era Lady Macbeth, apresentada pela primeira vez em 1934 e logo em seguida banida por Stalin por não condizer com os costumes vigentes e difundir ideias errôneas de como uma mulher soviética deveria se comportar. Os posters expostos representavam o modernismo soviético.

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

“Dia Internacional da Mulher” , por Mihály Biró. Enfatiza o papel das mulheres no movimento socialista. Uma mulher forte e confiante é mostrada a passos largos e segurando a bandeira vermelha do socialismo.

 

Opera: Passion, Power and Politics

Finalizada a fabulosa exposição Opera: Passion, Power and Politics, tenho certeza que grande parte dos visitantes retornaram com uma vontade muito grande de mergulhar nas profundezas da música clássica.

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Opera: Passion, Power and Politics

 

Siga-nos:
pinterest facebook1 instagram2 twitter

 

 

Dior – Haute Couture Surrealista

Dior Surrealista

Maria Grazia Chiuri, diretora artística das coleções femininas na Maison Dior, inspirou-se no movimento surrealista para criar a coleção de Alta-Costura Primavera Verão 2018. O desfile aconteceu na última segunda-feira, no Musée Rodin em Paris.

A estilista romana, feminista de carteirinha, assumiu a direção da grife há cerca de um ano. Já na sua primeira coleção para a Dior, colocou na passarela uma camiseta com os dizeres: “Todos deveríamos ser feministas” e levou para o desfile um tema controverso, que vem crescendo, continuamente.

Na  coleção de Alta-Costura Primavera Verão, Maria Grazia Chiuri homenageou a pintora argentina, Leonor Fini, a mais devassa e dissoluta mulher de seu tempo. Leonor dominava o mundo boêmio da arte parisiense na década de 30 e foi uma das únicas mulheres a fazer parte do movimento surrealista francês, do qual faziam parte, Salvador Dali, Picasso e Henri Cartier-Bresson.

Na passarela, o piso quadriculado em preto e branco, espelhos e toda a atmosfera cênica nos remetem ao Baile de Máscaras de Trumam Capote, uma das mais excepcionais festas privadas do século XX.

Peter Philips, diretor de criação e imagem da Dior, criou para o desfile uma maquiagem gráfica, com tatuagens temporárias nos dedos, braços, orelhas e pescoço. As frases tatuadas nas modelos, foram as do escritor francês, André Breton, precursor do movimento surrealista. Confira abaixo imagens do mais belo desfile da temporada francesa de Alta-Costura Primavera Verão 2018:

“Apenas a teatralidade inevitável da vida me interessa.”
Leonor Fini

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture

Dior Haute Couture
Imagens: Imaxtree e Marcus Tondo

 

Get the Look

Siga-nos:
pinterest    facebook1    instagram2   twitter