posted by on Arquitetura e Interiores

No comments



Brabbu | Tempo da Delicadeza

Brabbu é uma marca de design que traduz o estilo de vida urbano e contemporâneo, através de sua variada gama de mobiliário, iluminação, tapetes, arte e acessórios.
Este elegante hall de entrada foi decorado pela equipe da Brabbu em tons de cinza e bege, cores que trazem sofisticação imediata a qualquer ambiente.
Inspire-se e “get the look” :

Brabbu | Tempo da Delicadeza

Brabbu | Tempo da Delicadeza

A mesa Apis é composta por madeira e latão e reconstitui o tronco de uma árvore grande e antiga.

Brabbu | Tempo da Delicadeza
A poltrona Maya revestida em veludo, destaca-se no ambiente por suas formas sensuais e delicadas.

Brabbu | Tempo da Delicadeza

O lustre dourado Soleil complementa o projeto, trazendo modernidade  ao ambiente.

Brabbu | Tempo da Delicadeza

Por fim, o tapete Gobi em tons de cinza e areia escura, traz sobriedade e elegância ao ambiente.

posted by on Arquitetura e Interiores

No comments



Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung, empresa de design localizada em Toronto, Canadá, foi criada em 1997 pelos sócios Alessandro Munge e Sai Leung, com o objetivo de oferecer soluções de espaços para diversas áreas, como hotéis de luxo, restaurantes, casas noturnas, condomínios premium e projetos residenciais.
Adoro os espaços dramáticos e a delicadeza dos detalhes presentes em todos os seus projetos. Vários já foram postados aqui no blog.
Para um final de semana relaxante, nada melhor do que inspirar-se com estes belíssimos interiores assinados pelo renomado estúdio Munge Leung.

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Munge Leung | Tempo da Delicadeza

Visite:  mungeleung
tempodadelicadeza.com.br/2013/02/08/bisha-hotel-residences/

posted by on Paisagismo

No comments



Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Este jardim foi criado por Ludo Dierckx,  paisagista belga, para um cliente de Rotterdam, na Holanda .
O uso de flores brancas, juntamente com a lavanda e buxinhos transmitem elegância ao projeto.
O contraste dos toldos pretos harmoniza-se com a casa que é branca e com as pedras escuras, oferecendo uma visão agradável de todo o espaço exterior.
Confira:

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Stylish garden | Tempo da Delicadeza

Imagens:  homesweethome

 

Tchau Manoel…

nov
2014
14

posted by on Arte e Cultura, Fotografia

No comments



Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza

“Gostaria de ser lembrado como um ser abençoado pela inocência.”

Morre aos 97 anos o poeta brasileiro Manoel de Barros, deixando mais de 20 livros de poesias publicados.
Homem simples e sábio seguiu sua vida, dando lições de humildade.
Preferia a palavra escrita à palavra falada.
Tímido, o poeta dizia que “só trancado e sozinho conseguia se expressar. Mesmo sem linearidade, por trancos, por sugestões, ambíguo – como requer a poesia.”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Por que deixam um menino que é do mato
Amar o mar com tanta violência?”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Agora estou sonhado de glicínias.”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Estátuas sofrem de lodo nos jardins abandonados.”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Quem levará para casa todos os dias a mesma solidão, senão os doidos de beco?”

 

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“De que me vale ter a casa sem ter a mulher amada dentro?”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Essas doces ruínas mortas ou alamedas
Esquecidas em sua tranquilidade de coisas anônimas, – cuidado com elas!
São infestadas de lobos solitários… “

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
” A gente é rascunho de pássaro
Não acabaram de fazer…”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Bicho acostumado na toca, encega com estrela.”

Manoel de Barros | Tempo da Delicadeza
“Não gosto de dar confiança para a razão, ela diminui a poesia.”

Abaixo o meu poema preferido de Manoel de Barros:

Matéria de Poesia

1.

Todas as coisas cujos valores podem ser
disputados no cuspe à distância
servem para a poesia

O homem que possui um pente
e uma árvore
serve para poesia

Terreno de 10×20, sujo de mato – os que
nele gorjeiam: detritos semoventes, latas
servem para poesia

Um chevrolé gosmento
Coleção de besouros abstêmios
O bule de Braque sem boca
são bons para poesia

As coisas que não levam a nada
têm grande importância

Cada coisa ordinária é um elemento de estima

Cada coisa sem préstimo
tem seu lugar
na poesia ou na geral

O que se encontra em ninho de joão-ferreira:
caco de vidro, garampos,
retratos de formatura,
servem demais para poesia

As coisas que não pretendem, como
por exemplo: pedras que cheiram
água, homens
que atravessam períodos de árvore,
se prestam para poesia

Tudo aquilo que nos leva a coisa nenhuma
e que você não pode vender no mercado
como, por exemplo, o coração verde
dos pássaros,
serve para poesia

As coisas que os líquenes comem
- sapatos, adjetivos -
tem muita importância para os pulmões
da poesia

Tudo aquilo que a nossa
civilização rejeita, pisa e mija em cima,
serve para poesia

Os loucos de água e estandarte
servem demais
O traste é ótimo
O pobre-diabo é colosso

Tudo que explique
o alicate cremoso
e o lodo das estrelas
serve demais da conta
Pessoas desimportantes
dão para poesia
qualquer pessoa ou escada

Tudo que explique
a lagartixa de esteira
e a laminação de sabiás
é muito importante para a poesia

O que é bom para o lixo é bom para poesia

Importante sobremaneira é a palavra repositório;
a palavra repositório eu conheço bem:
tem muitas repercussões
como um algibe entupido de silêncio
sabe a destroços

As coisas jogadas fora
têm grande importância
- como um homem jogado fora
Aliás, é também objeto de poesia saber
qual o período médio que um homem jogado fora
pode permanecer na Terra
sem nascerem em sua boca
as raízes da escória

As coisa sem importância
são bens de poesia
pois é assim
que um chevrolé gosmento
chega ao poema
e as andorinhas de junho.

Imagens: Tumblr e Pinterest

posted by on Hotelaria, Lifestyle

No comments



Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel  Milano está localizado em um antigo palácio, projetado por Enrico A. Griffini, no disputadíssimo “Quadrilátero da Moda”, em Milão.
O hotel dispõe des 95 quartos e suítes, todos desenhados por Giorgio Armani.
Luxo e elegância estão presentes em todos os detalhes.
Mobiliário de linhas retas, cores sóbrias, pé direito duplo, e amplas janelas envidraçadas são elementos que facilmente acrescentam requinte aos espaços.
Os quartos são espaçosos e foram decorados com o mobiliário da coleção Armani Casa, todos feitos sob medida e numa paleta bem masculina, em tons de cinza e bege.
Armani é nitidamente perfeccionista e monocromático.
O Hotel oferece aos hóspedes acesso privilegiado, restaurantes gourmet, luxuoso SPA e um centro de negócios totalmente equipado com salas de reuniões.
Um dos maiores apelos do hotel, é seguramente a vista.
O hóspede quando chega é levado para o sétimo andar, onde estão localizados o Bamboo Bar e o Armani Restaurante,  para que possam usufruir de imediato, das deslumbrantes vistas de 360 graus da cidade milanesa.

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Estas duas suítes duplex  possuem uma entrada luxuosa, vestíbulo e uma espaçosa sala de estar com escadaria circular que  conduz os hóspedes ao banheiro situado no andar superior.
Também são equipadas com um Cinema, ou alternativamente, com uma academia de ginástica.

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza
Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza
Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza
Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Armani Hotel Milano | Tempo da Delicadeza

Visite:  armanihotels